Segunda-Feira, 21 de Agosto de 2017

História

Publicado em CUJUBIM
Lido 4448 vezes
Avalie este item
(0 votos)

Cristo Aponta para a Amazônia

Com este “mantra”, queremos partilhar nossa missão saletina na Amazônia.. Tudo iniciou em 2006, quando Dom Jaime Chemello pregou o retiro para os Missionários Saletinos em Curitiba, PR. Na ocasião,  em nome da CNBB, ele pediu aos Missionários Saletinos que assumissem uma missão na região amazônica.

Citava o Documento da Igreja: Cristo aponta para a Amazônia”. Também falava do compromisso da CF do ano seguinte: Fraternidade e Amazônia, Vida e Missão Neste Chão. Esta foi a grande motivação! Em 2007,  viemos para a Arquidiocese de Porto Velho, em Rondônia.
 
Dom Moacyr Grechi nos acolheu e nos ofereceu uma área de missão no município de Cujubim, que era atendido pelos padres palotinos de Ariquemes, distante daqui 115 kms. Cujubim ainda não era paróquia.
 
 
Pertencia a Ariquemes. Em 2008, assumimos esta missão. No dia 13 de abril de 2008,  foi declarada paróquia São João Batista, que além da Matriz, contava com 25 pequenas comunidades nas Linhas. Situa-se ao norte do Estado, distante 230kms de Porto Velho. Uma terra há pouco colonizada (menos de 30 anos) formada por um povo migrante, vindo de vários Estados do Brasil. Cujubim (nome de um pássaro aqui da Amazônia) é um município grande na sua extensão.

 

Devastação na Floresta

Tem uma população aproximada de 18.000 habitantes. Sua atividade principal é a extração da madeira, porém a pecuária, a produção de leite e a piscicultura estão sendo desenvolvidas.

A agricultura cresce menos, devido que às terras  fracas para a lavoura.Temos vários pequenos rios, o maior deles: Rio Machadão, afluente do Rio Madeira. Como na maior parte da Amazônia, o desmatamento continua acontecendo por aqui. Existem várias “reservas” que estão sendo ocupadas por posseiros. A questão ambiental é um grande desafio para a região. Há muitas madeireiras instaladas aqui.

O comércio ainda é fraco. Foi aqui que há quatro anos, instalamos nossa tenda! Hoje a paróquia São João Batista conta com 30 comunidades nas Linhas, mais o trabalho pastoral na cidade com seus desafios.

Terra de Migrantes

As Comunidades Eclesiais de Base (CEBs) são a prioridade na Arquidiocese. Portanto, nossa paróquia é uma “Rede de 31 CEBs”. Depois que se tornou paróquia, o trabalho pastoral se estruturou e se fortaleceu. Temos várias pastorais e alguns ministérios: Pastoral da Criança, Pastoral do Dízimo, Pastoral catequética, Pastoral da Juventude, Pastoral do Batismo, Familiar, da saúde e Ministérios: da Eucaristia, da Liturgia, dos Conselhos de Pastoral e Administrativo. Também os Grupos de Reflexão em todas as comunidades e  nos bairros da cidade estão acontecendo, orientados  por uma cartilha própria da Arquidiocese.

Temos o compromisso de construir comunidades nos bairros, suscitando o espírito comunitário. Os desafios também são grandes: as distâncias de algumas comunidades e das cidades, as doenças próprias aqui da região, a questão da saúde pública, a falta de infraestrutura do município, gente que chega e gente que sai, lideranças que vão para outras regiões. Temos  o período da estiagem e o período das chuvas intensas, as questões ambientais (desmatamento, o clima quente a ano todo...).

Os católicos aqui não são maioria. 52% da população é evangélica. Portanto, a caminhada não se faz com multidões. São pequenos grupos nas comunidades e também na cidade que se reúnem e se comprometem com a evangelização.

Coisas Pequenas; Grandes Mudanças

Estamos aqui como Missionários da Reconciliação. Percebemos que é urgente a reconciliação com Deus, com a natureza e com os irmãos. A mensagem da Salette está sendo bem acolhida pelo povo. Na nossa atividade pastoral, além das missas na matriz e nas comunidades, temos também periodicamente encontros de formação com as lideranças, retiros e o chamado “Encontro Das Redes de Comunidades”, com as lideranças onde reunimos as comunidades mais próximas para um dia de encontro, formação e celebração.

Neste ano, teremos também em todas as comunidades estudo bíblico com o povo. Temos dois momentos fortes, onde as comunidades também se envolvem: A NOVENA E A FESTA DO PADROEIRO SÃO JOÃO BATISTA E DE NOSSA SENHORA DA SALETTE. Temos gente de nossas comunidades envolvida no sindicato, na Associação das Mulheres e outras associações, fazendo trabalho voluntário na área da saúde...

É um trabalho em prol da vida que se faz em mutirão! Em 2009, aconteceu o 12º Intereclesial das CEBs em Porto Velho.

Participamos ativamente, na preparação desse encontro, que fortaleceu ainda mais a caminhada de nossas comunidades! Queremos concluir nossa partilha com um provérbio africano que inspirou o 12º Intereclesial, citado por Dom Moacyr na abertura desse Encontro: “GENTE SIMPLES, FAZENDO COISAS PEQUENAS, EM LUGARES NÃO IMPORTANTES, CONSEGUE MUDANÇAS EXTAORDINÁRIAS”.

Este é o espírito que anima e fortalece nossa missão aqui nesta “terra grande da Amazônia”! Daqui do norte vai nosso abraço a todos  que acreditam que o Reino vai acontecendo na simplicidade e no testemunho de homens e mulheres, que em lugares não importantes, fazem coisas extraordinárias em defesa da vida!

Última modificação em Terça, 24 Março 2015 13:10

Mais Lidas

Um mês dedicado às vocações

03 Ago 2017 Notícias Salette

Mês Vocacional 2017

07 Ago 2017 Notícias Salette

A Vocação Sacerdotal

13 Ago 2017 Notícias Salette

A Vocação de ser pai

13 Ago 2017 Notícias Salette