Sexta-Feira, 20 de Outubro de 2017

“Sem Páscoa não há vida, não há futuro”

Publicado em Notícias Salette
Lido 2293 vezes
Avalie este item
(0 votos)

 

Dom João Marcos, bispo de Beja, Portugal, escreveu uma mensagem para sua diocese, tendo em vista a Semana Santa que se iniciou. E o prelado convida seus diocesanos a celebrar o novo tempo litúrgico a partir já do Domingo de Ramos.

Dom João Marcos afirmou que “sem Páscoa não há futuro” na sociedade atual, onde “parece que Deus sobra”.

Para o bispo de Beja, “Anunciar a Páscoa neste nosso contexto, convidar pessoas para celebrarem a Morte e a Ressurreição de Jesus […] é quase como tentar vender roupas de verão no pico do inverno ou apregoar chapéus-de-chuva no deserto, onde não chove”.

Dom João Marcos convida a dar importância “ao que é importante” e alerta para as “idolatrias de sempre” e para as “superstições de novo reabilitadas”. Ele frisa também que, apesar dos tempos serem outros, o faraó do Egito, símbolo bíblico de opressão sobre a humanidade, é “o mesmo de sempre”, não mudaram os seus “desígnios sinistros” mas, agora são usados “métodos mais sofisticados e eficazes”:

“Trocou o rigor do chicote pelo conforto, a fome e o racionamento pela abundância de bens materiais e disfarça a mesma dura servidão e manipulação dos escravos oferecendo-lhes, de bandeja, as mais amplas liberdades individuais”, desenvolveu.

“Egito” deslumbrante

Em nome dos “superlativos direitos do indivíduo”, o ‘faraó’ de hoje, para garantir o bem-estar presente incentiva “o egoísmo, a gula, a luxúria e a esterilidade” destruindo a família e inviabiliza o futuro, diz Dom João Marcos.

Para o bispo, “nunca dantes se viu no mundo algo comparável a este Egito deslumbrante, a esta terra da abundância e de todas as liberdades, a este magnífico Eldorado”, classificado por ele como “um engodo e sumamente precárias”.

Necessidade da Páscoa

Na sua mensagem, o bispo de Beja sublinha que a Páscoa é necessária para que “haja futuro” porque as pessoas anestesiadas não reparam nos “muitos sinais de desagregação do tecido social”, nem avaliam os custos criminosos e as consequências desastrosas da “embriaguez coletiva”. E foi severo ao afirmar que o homem ficou “completamente analfabeto” quanto à vida espiritual porque para “dominar e transformar o mundo” o homem ocidental “vendeu a alma ao diabo por um prato de lentilhas”:

“Não digas que não tens tempo. Sê inteligente, não inventes desculpas, sê bom para ti mesmo! Vem celebrar a Páscoa conosco”, convidou Dom João Marcos em sua mensagem aos diocesanos.

Aclamar Cristo como Rei e Senhor – praticar a verdadeira caridade

O tempo litúrgico da Quaresma está chegando ao seu termo e o bispo de Beja deseja mobilizar todos e cada um dos católicos da diocese para “aclamar Cristo Rei e Senhor” na procissão da celebração do Domingo de Ramos.

É claro também em sua Mensagem a expressão de seu desejo de que, a partir da Quinta-feira Santa, quando é inaugurado o Tríduo Pascal, todos os fiéis possam, com o desenrolar das cerimônias, “aprender a praticar a verdadeira caridade fraterna”. (JSG)

Bispo Português Sem Páscoa não há vida, não há futuro.jpg