Sexta-Feira, 20 de Outubro de 2017

Maria na história da Igreja

Publicado em Notícias Salette
Lido 2414 vezes
Avalie este item
(0 votos)

 

Maria na história da Igreja

 


O Sumo Pontífice João Paulo II, por ocasião do Ano Mariano, afirmou que o mesmo deve promover uma nova e aprofundada leitura do que o Concílio disse sobre a bem-aventurada Virgem Maria, mãe de Deus, no mistério de Cristo e da Igreja.

É notável que há uma necessidade contínua da reflexão, estudo e aprofundamento da mãe de Deus, no sentido de que Maria tenha o seu lugar na Igreja, mas não maximizando a Virgem, nem tampouco A minimizando, mas que se tenha um equilíbrio entre os dois.

É certo que ao longo do tempo muitos movimentos aderiram um interesse pelo aprofundamento da pessoa de Maria de Nazaré. Esta não é deusa, mas como diz a música, depois de Deus, neste mundo ninguém foi maior. Maria é a mulher firme, fiel, presente. É aquela que teve papel fundamental na comunidade cristã, se fez mãe, educadora e também discípula, figura e modelo da Igreja, desde seu início. Neste sentido, Maria é o grande exemplo de amor-doação para todos nós, seguidores de Jesus Cristo.

Com todas estas características de Maria, Ela que gerou em seu ventre o grande projeto de Deus para a história da humanidade, nós cristãos deveríamos seguir seu exemplo, pois como já dizia Santo Ambrósio, como Maria, todo cristão gera Cristo em seu coração. Nesta perspectiva, a comunidade possui uma dimensão materna. É através dos sacramentos, Liturgia, Palavra, vivência, que a comunidade adquire esta dimensão maternal. Olhando para a imagem de Maria, cada um de nós deveríamos sentir este afeto materno.

Assim, Maria é uma pessoa humana como nós, mas muito especial. Ela é a Virgem, mãe do Filho de Deus, é a Imaculada. É a mulher atenta que ouve a palavra do Filho, medita e a põe em prática. É a advogada, auxiliadora, socorro, medianeira.

Portanto, o conhecimento do mistério da Virgem contribui para um conhecimento mais profundo do mistério de Cristo, da Igreja e da vocação do homem. O vínculo estreito da bem-aventurada virgem com Cristo, com a Igreja e com a humanidade faz com que a verdade acerca de Cristo, da Igreja e do homem ilumine a verdade concernente a Maria de Nazaré.

 

Ir. Fábio Andrade, MS

 

 

Última modificação em Segunda, 08 Maio 2017 17:56