Domingo, 17 de Dezembro de 2017

2. Nas Fontes da Reconciliação

Publicado em FAMÍLIA SALETINA
Lido 199 vezes
Avalie este item
(0 votos)

 

                  Maria vem nos recordar que a reconciliação é iniciativa de Deus, mas também é colaboração nossa. A fé nos atesta que essa palavra - RECONCILIAÇÃO - tem suas fontes. A primeiro delas é o próprio Jesus, Reconciliador do Pai com os homens. Uma segunda fonte é a Igreja, sinal e lugar do perdão. Ainda existem outras "fontes" de reconciliação, como por exemplo: a oração, a pregação, o testemunho, a Mensagem de Maria em La Salette. Vejamos, pois, brevemente cada uma delas.

  • JESUS CRISTO: um Coração Reconciliador

                 São Paulo não hesita em resumir em tal tarefa e "função" a incomparável missão de Jesus de Nazaré, Verbo e Filho de Deus feito homem. Em suas cartas, São Paulo nos fala da reconciliação alcançada por Cristo. Por isso, sente-se inspirado a exortar os cristãos de Corinto: "Reconciliai-vos com Deus" (Cf. 2 Cor 5, 18-20). De tal missão reconciliadora mediante a morte na cruz, falava-nos em outros termos o evangelista São João, ao observar que Cristo devia morrer "para que fossem reconduzidos à unidade os filhos de Deus que andavam dispersos" (Cf. Jo 11, 52). São Paulo permiti-nos ainda, alargar nossa visão da obra de Cristo, quando escreve que "n'Ele o Pai reconciliou consigo todas as criaturas, as da terra e as do céu" (Cf. Cl 1, 20).

  • IGREJA: sinal e lugar do perdão

                 Neste panorama da reconciliação, a Igreja ocupa um lugar privilegiado, pois é sinal e lugar desta reconciliação universal. A Igreja tem necessidade contínua e ininterrupta de conversão e de perdão. Toda a Igreja está, pois, sob o sinal da reconciliação alcançada por Jesus. Continuamente os cristãos pedem e recebem o perdão de Deus sob múltiplas e diversas formas: no rito penitencial, na Eucaristia, sobretudo, no sacramento da Confissão que dentre os outros sacramentos que a Igreja ministra é, por excelência, um sinal estabelecido pelo mesmo Jesus quando, depois de Ressuscitado, deu aos seus apóstolos o poder de perdoar os pecados, dizendo: "Recebei o Espírito Santo. Àqueles a quem perdoardes os pecados, ser-lhe-ão perdoados; àqueles a quem os retiverdes, ser-lhe-ão retidos" (Cf. Jo 20, 22-23).

  • LA SALETTE: Reconciliação hoje mais do que nunca!

                 A Virgem em La Salette vem lembrar que a missão reconciliadora é própria de toda a Igreja. Seu amor maternal torna-a atenta aos irmãos de seu Filho, cuja peregrinação não está concluída ainda, enfrentam perigos e provações. Maria chora por seu Filho desconhecido e rejeitado pelos homens; chora por nós, pobre pecadores. As suas lágrimas são o sinal de seu amor, o derradeiro argumento de uma Mãe que nada mais tem a não ser os próprios olhos para chorar, para enternecer nosso coração petrificado.

                A Virgem nos indica esse caminho de conversão. Nossa Mãe se revela uma verdadeira educadora: Ela convida a nos pormos a caminho. Esse apelo à conversão é o coração do evento de La Salette. Tudo para Ele (Jesus) concorre: as lágrimas, o crucifixo com o martelo e a turquês, correntes e rosas, luz e palavras. Voltar a Jesus, deixar-se reconciliar por Jesus com o Pai, nos permite viver pelo Reino com amor.

 

Texto escrito originalmente em 22.06.12

Continua...

Ir. Emerson Aguiar, MS.

 

 

 

 

 

Última modificação em Domingo, 02 Abril 2017 21:52

Mais Lidas

Advento: Significado e origem

04 Dez 2017 Notícias Salette

O tempo do Advento

04 Dez 2017 Notícias Salette

A lição da humildade: Maria e José

05 Dez 2017 Notícias Salette