Quinta-Feira, 25 de Maio de 2017

ANO DA VIDA RELIGIOSA CONSAGRADA

Publicado em IGREJA A CAMINHO
Lido 1330 vezes
Avalie este item
(0 votos)


logotipo VC2015 portugalA designação «Vida Consagrada» refere-se a um comum horizonte eclesial em que se articulam, de forma complementar, carismas e instituições: ordens e institutos religiosos dedicados à contemplação ou às obras de apostolado; sociedades de vida apostólica; institutos seculares e outros grupos de consagrados; formas novas ou renovadas de vida consagrada; a Ordem das Virgens, as viúvas e os eremitas consagrados; todos aqueles que, no segredo do seu coração, se entregam a Deus com uma especial consagração (cf. Vita Consecreta, 2).
A propósito, em 2 de fevereiro de 2014, Festa da Apresentação do Senhor, Dia Mundial do Consagrado, a Congregação para os Institutos de Vida Consagrada e as Sociedades de Vida Apostólica (CIVCSVA) dirigiu aos consagrados e consagradas uma Carta Circular. Intitulada “Alegrai-vos”, tem como epígrafe uma citação do Papa Francisco: «Queria dizer-vos uma palavra, e a palavra é alegria. Onde quer que haja consagrados, aí está a alegria!»
A Vida Consagrada está vivendo um tempo de buscas, de questionamentos, de mudanças, de conversão para os Novos Tempos com novas perguntas e novas respostas. Um tempo de graça e de luzes do Espírito Santo. Atenta a estes movimentos do hoje e em sintonia com o Horizonte e as Prioridades assumidas na última Assembleia Geral Eletiva 2013, a CRB Nacional se propõe a dar continuidade ao processo de reflexão e aprofundamento da temática da Intercongregacionalidade e de assumir o Núcleo Identitário da VC, com atitude Profética num processo Mistagógico, organizou um Seminário Nacional com o seguinte objetivo:
“Animar, fazer arder o coração da VC para a missão e a profecia em vista da vivência da Radicalidade do seguimento de Jesus Cristo com alegria e esperança”.
O Seminário Nacional teve como Tema Central: “Assumir o Núcleo Identitário da VC: Atitude Profética, Processo Mistagógico”. E como Lema: “Não ardia nosso coração quando ele nos falava pelo caminho?” (Lc 24,32).

ANO DA VRC, O CONVITE FEITO PELO PAPA FRANCISCO!

ANÚNCIO:
Dia 29 de novembro de 2013, o Papa Francisco anunciou que o ano de 2015 seria dedicado, na Igreja inteira, à Vida Consagrada. Na realidade, ele durará algo mais que um ano, uma vez que sua abertura ocorrerá em 30/11/2014 e seu encerramento será em 02/02/2016.

RAZÃO:
O Ano da Vida Consagrada foi pensado no contexto do Concílio Vaticano II, particularmente no cinquentenário da publicação do decreto conciliar Perfectae Caritatis, sobre a renovação da Vida Consagrada.
Somos chamados a seguir o que o Concílio pediu aos Consagrados: fidelidade ao Senhor, à Igreja, ao carisma próprio e aos homens e mulheres de hoje (Cf. PC, 2).

OBJETIVOS:
GERAL: Vivenciar, em comunhão com a VRC e a Igreja do mundo inteiro, 2015 como o ano da Vida Religiosa Consagrada.
ESPECÍFICOS:
1. Fazer memória, com gratidão, do passado recente, pós conciliar.
2. Viver o presente com paixão, a exemplos dos/as fundadores/as.
3. Abraçar o futuro com esperança para despertar mundo.

PASSADO
Os Consagrados somos conscientes de que não temos “apenas uma história gloriosa para recordar e narrar...”.
* Relembrar a “história” que temos “para recordar e narrar”, particularmente em nosso Núcleo.
* Fazer memória dos/as mártires da VRC brasileira.
* Rever:
- Os documentos da Igreja sobre a VRC: LG (43-47), PC, VC.
- Os passos dados pela VRC após o Vaticano II.
* Aprofundar:
- A nossa congregação: Por que e para que Deus nos suscitou?
- A minha vocação: As raízes de minha opção...
* Prever celebração de ação de graças na Igreja local.

PRESENTE (durante o Ano):
... mas temos também uma grande história a construir (VC, 110). Isso nos conduzirá a continuar a renovação proposta pelo Concílio, fortalecendo nossa relação com o Senhor, a vida fraterna em comunidade, a missão, preocupando-nos com uma formação adaptada aos nossos tempos, de maneira a “propor de novo e com coragem” e com uma “fidelidade dinâmica” e criativa (Cf. VC, 37) a experiência dos fundadores e fundadoras.
Assim como a sociedade e a Igreja, também a VRC está em crise. Mas esta não é algo como “antessala da morte”, mas, sim, um kairós, uma ocasião favorável para o crescimento em profundidade e, consequentemente, um tempo de esperança (Dom João Braz de Aviz).
Sugestões:
* Promover nossa conversão. Em formulação de Alegrai-vos (nº 6), “renovar e qualificar com alegria e paixão a nossa vocação”.
* Responder, com sinceridade, às perguntas que o Papa nos faz, ao final da carta circular Alegrai-vos, também publicadas na Convergência
* Viver a nossa vida com paixão e alegria.
* Com relação à vida espiritual:
- Fazer do ano da Vida Consagrada o “Ano do primado de Deus”.
- Nas comunidades: Tempo diário de oração qualificado e, se julgado conveniente, acrescido.
* Com relação à missão:
- Visibilizar a nossa existência através de atividade(s) “missionária”(s).
* Com relação à comunidade:
- Juntos/as, ser sinal de comunhão.
- Cada um/a construir comunhão no lugar em que está.
* Promover encontro celebrativo e de confraternização dos/as Religiosos/as do Núcleo.
* Divulgar o Ano da Vida Consagrada nos Meios de Comunicação Social, priorizando testemunhos.
* Convidar o povo de Deus todo a celebrar o Ano, a promover a VRC e ajudar os/as Religiosos/as a viverem com fidelidade a sua vocação.

FUTURO:
* Acreditar na fidelidade de Deus.
* Construir a VRC do futuro:
- Continuar identificando e experimentando traços da possível VRC para os novos tempos.
- Identificar o que caracteriza os/as novos/as vocacionados/as.
- Clarear características e modalidades da nova promoção vocacional.

As perguntas do papa Francisco
• Queria dizer-vos uma palavra, e a palavra é alegria. Onde estão os consagrados, os seminaristas, as religiosas e os religiosos, os jovens, há sempre alegria, há sempre júbilo! É a alegria do vigor, é a alegria de seguir Jesus; a alegria que nos dá o Espírito Santo, não a alegria do mundo. Há alegria! Mas, onde nasce a alegria?
• Olha no fundo do teu coração, olha no íntimo de ti mesmo, e interroga-te: tens um coração que aspira a algo de grande ou um coração entorpecido pelas coisas? O teu coração conservou a inquietação da procura ou permitiste que ele fosse sufocado pelos bens, que terminam por atrofiá-lo? Deus espera por ti, procura-te: o que lhe respondes? Apercebeste desta situação da tua alma? Ou dormes? Acreditas que Deus te espera ou, para ti, esta verdade não passa de « palavras »?
• Somos vítimas desta cultura do provisório. Gostaria que pensásseis nisto: como posso ser livre, como posso libertar-me desta cultura do provisório?
• Esta é uma responsabilidade, em primeiro lugar dos adultos, dos formadores: dar um exemplo de coerência aos mais jovens. Queremos jovens coerentes? Sejamos nós coerentes! Caso contrário, o Senhor nos dirá o que dizia dos fariseus ao povo de Deus: « Fazei o que dizem, mas não o que fazem! » Coerência e autenticidade!
• Podemos perguntar-nos: eu vivo inquieto por Deus, por anunciá-lo, por dá-lo a conhecer? Ou então deixo-me fascinar por aquela mundanidade espiritual que leva a fazer tudo por amor-próprio? Nós, consagrados, pensamos nos interesses pessoais, no funcionalismo das obras, no carreirismo. Mas podemos pensar em tantas coisas... Por assim dizer, « acomodei-me » na minha vida cristã, na minha vida sacerdotal, na minha vida religiosa, e até na minha vida de comunidade, ou conservo a força da inquietação por Deus, pela sua Palavra, que me leva a « sair » e ir rumo aos outros?
• Como vivemos a inquietação do amor? Cremos no amor a Deus e ao próximo, ou somos nominalistas a este propósito? Não de modo abstrato, não somente pelas palavras, mas o irmão concreto que encontramos, o irmão que está ao nosso lado! Deixamo-nos inquietar pelas suas necessidades, ou permanecemos fechados em nós mesmos, nas nossas comunidades, que com frequência são para nós « comunidades-comodidades »?
• Este é um bom caminho para a santidade! Não falar mal dos outros. « Mas, padre, há problemas... »: di-lo ao superior, di-lo à superiora, ao bispo, que pode remediar. Não o digas a quem nada pode fazer. Isto é importante: fraternidade! Mas diz-me, tu falarás mal da tua mãe, do teu pai, dos teus irmãos? Nunca. E porque o fazes na vida consagrada, no seminário, na vida presbiteral? Só isto: pensai, pensai... Fraternidade! Este amor fraterno!
• Aos pés da cruz, Maria é a mulher da dor e, ao mesmo tempo, da vigilante espera de um mistério, maior que a dor, que está para se cumprir. Tudo parece realmente acabado; toda a esperança poderíamos dizer que se apagou. Também ela, naquele momento, poderia ter exclamado, recordando as promessas da anunciação: não se cumpriram, fui enganada. Mas não o disse. Contudo ela, bem-aventurada porque acreditou, desta sua fé vê brotar um futuro novo e aguarda com esperança o amanhã de Deus. Às vezes, penso: nós sabemos esperar o amanhã de Deus? Ou queremos o hoje? O amanhã de Deus é para ela o amanhecer da Páscoa, daquele primeiro dia da semana. Far-nos-á bem pensar, em contemplação, no abraço do Filho com a Mãe. A única lâmpada acesa no sepulcro de Jesus é a esperança da Mãe, que naquele momento é a esperança de toda a Humanidade. Pergunto a mim e a vós: nos mosteiros, esta lâmpada ainda está acesa? Nos mosteiros, espera-se o amanhã de Deus?
• A inquietação do amor impele-nos sempre a ir ao encontro do outro, sem esperar que seja o outro a manifestar a sua necessidade. A inquietação do amor oferece-nos a dádiva da fecundidade pastoral, e nós devemos perguntar-nos, cada um de nós: como está a minha fecundidade espiritual, a minha fecundidade pastoral?
• Uma fé autêntica exige sempre um desejo profundo de mudar o mundo. Eis a pergunta que nos devemos fazer: temos também nós grandes visões e estímulos? Somos também nós audazes? O nosso sonho voa alto? O zelo devora-nos (cf. Sl 69, 10), ou somos medíocres e satisfazemo-nos com as nossas programações apostólicas de laboratório?

Última modificação em Sexta, 03 Julho 2015 17:29

Mais Lidas

Maria na história da Igreja

08 Mai 2017 Notícias Salette

Maria, Modelo da Igreja

08 Mai 2017 Notícias Salette

Maio, mês de Maria

08 Mai 2017 Notícias Salette

Nota de pesar

16 Mai 2017 Notícias Salette